CABEÇALHO OPISB 21jan2019.png
CÂMARA DOS DEPUTADOS – DETAQ
Sessão: 342.3.54.O - Data: 29/10/2013

 

Sumário
Definição de plano de trabalho pela Frente Parlamentar em Defesa das Práticas Integrativas da Saúde. Relevância do trabalho realizado pela Escola Superior de Ciências Tradicionais e Ambientais - ESCAM, em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul.
Fonte: Câmera dos Deputados
O SR. PRESIDENTE (Amauri Teixeira) - Concedo a palavra ao Deputado Giovani Cherini.
O SR. GIOVANI CHERINI (PDT-RS. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, no dia 16 de outubro, instalamos, nesta Casa, a Frente Parlamentar em Defesa das Práticas Integrativas da Saúde, que contou com a presença de entidades e instituições de profissionais ligados a essa área no Brasil. Naquela ocasião, criamos um grupo a partir das entidades e instituições que aderiram à Frente Parlamentar e, para nossa alegria, no dia 20 de novembro,realizaremos a primeira grande reunião para definir um plano de trabalho. Contamos com a participação de pessoas notáveis, grandes figuras humanas que se preocupam com a saúde do ser humano.
Esse grupo terá uma missão especial, que é a de ajudar a Frente Parlamentar a sugerir ao Ministério da Saúde políticas públicas que objetivem a inclusão de terapias integrativas nos programas de saúde, as chamadas práticas integrativas em saúde ou a saúde holística.
Para isso, conto com a coordenação do Dr. Márcio Bontempo, médico, sociólogo e escritor, especialista em saúde pública, Presidente da Associação Brasileira de Medicina Integral e autor de mais de 60 livros; um homem de visão.
A Frente Parlamentar em Defesa das Práticas Integrativas da Saúde terá, também, como finalidade, entre outras: acompanhar, propor e analisar proposições e programasque disciplinem todos os assuntos referentes à inclusão das práticas integrativas em saúde; divulgar as terapias existentes, bem como os benefícios que elas trazem; propor soluções legislativas, ouvindo as propostas das entidades representativas do segmento dos terapeutas e os cursos de cuidados integrativos existentes nas universidades; articular e integrar as iniciativas e atividades da Frente Parlamentar com as ações de governo e das entidades da sociedade civil de defesa das terapias integrativas; estimular e divulgar as pesquisas acadêmicas e científicas referentes às terapias integrativas sob a visão de novos paradigmas; promover a divulgação das atividades da Frente Parlamentar em Defesa das Práticas Integrativas da Saúde no âmbito do Parlamento e junto à sociedade.
Sr. Presidente, quero também registrar um grande trabalho que a Escola Superior de Ciências Tradicionais e Ambientais — ESCAMvem realizando no Rio Grande do Sul. Falo da escola mais importante do Rio Grande do Sul, com sede em Porto Alegre, criada em 2003 pela ONG Terra Brasil.
A ESCAM desenvolve o ensino e a pesquisa da biodiversidade e das terapias ancestrais, naturais e integrativas. Com 10 anos de experiência na Mata Atlântica e nas terapias naturais e indígenas, a ESCAM coloca à disposição vários cursos, palestras e seminários nessas áreas, com uma elite de professores especialistas, mestres e doutores de todo o Brasil.
O profissional que frequentar o curso livre para qualificação profissional em naturopatia, por exemplo, adquirirá conhecimentos para atuar como naturopata, conforme previsto no Ministério do Trabalho — CBO 3221-25. A duração do curso é de 5 anos e meio, totalizando 5.460 horas de estudos.
Ontem estive falando com um dos coordenadores da ESCAM, o engenheiro José Antonio Oppelt, e pude constatar a seriedade do trabalho que é realizado por 30 professores do mais alto nível.
Sonho com que iniciativas como essa prosperem em nosso País, contribuindo com a saúde dos brasileiros. Precisamos mudar a triste lógica existente no nosso País, que é tratar... 
(O microfone é desligado.)
O SR. PRESIDENTE (Amauri Teixeira) - Nós estamos para encerrar a sessão. Eu peço aos Deputados que concluam os seus pronunciamentos em 3 minutos. 
O SR. GIOVANI CHERINI - Eu só queria concluir, Sr. Presidente. É só um segundo. 
Precisamos mudar a triste lógica existente em nosso País, que é tratar da doença já contraída, e não a saúde dos nossos irmãos de forma preventiva.
Gostaria que este pronunciamento fosse divulgado no programa A Voz do Brasil e nos órgãos de comunicação da Casa.
O SR. PRESIDENTE (Amauri Teixeira) - Autorizo a divulgação em A Voz do Brasil.

 

 

Fonte: Câmera dos Deputados