OPISB - Ordem dos Profissionais Integrativos no Brasil
ANO 2018

Glossário Temático é uma série elaborada para difundir os termos, as definições e as siglas utilizados por órgãos subordinados e entidades vinculadas ao Ministério da Saúde a fim de padronizar a linguagem institucional pela identificação e descrição de variantes terminológicas. Este novo livro da série reúne os principais significados, vocábulos e expressões utilizados no âmbito das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde. Esta obra de referência pretende, ainda, divulgar essa linguagem de especialidade não só para os trabalhadores da área da Saúde, mas também para qualquer pessoa interessada.

Fonte: Glossário Temático : Práticas Integrativas e Complementares em Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva,Secretaria de Atenção à Saúde. Ministério da Saúde, Brasília-DF / 2018.

 

O objetivo deste Manual de  Implantação de Serviços,
é sugerir aos gestores do SUS um modelo de Plano de Implantação das PICS, facilitando, assim, o desenvolvimento dessas práticas de cuidado em seu território, além de descrever os passos de cadastramento dos serviços. É válido ressaltar que não se trata de um modelo rígido e obrigatório, pois os municípios que se encontram em fases diversas de implantação poderão ajustá-lo às suas necessidades, especificidades e realidade do território.

Fonte: Manual de Implantação de Serviços de práticas integrativas e complementares no SUS / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva,Secretaria de Atenção à Saúde.
Ministério da Saúde, Brasilia-DF /2018.

 

ANO 2015

Trata da necessidade de se conhecer, apoiar, incorporar e implementar experiências já desenvolvidas na rede pública estadual e municipal, dentre as quais a medicina tradicional chinesa - acupuntura, homeopatia, fitoterapia, medicina antroposófica e termalismo - crenoterapia. Define as abordagens da PNPIC no SUS.

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/pnpic

 

 
ANO 2013

Caderno de Atenção Básica com o objetivo de estimular e compartilhar o conhecimento acumulado no cuidado em saúde mental na Atenção Básica, ao apresentar ferramentas e estratégias de intervenção terapêuticas, possibilitando o diálogo com o profissional de saúde. Apresenta e discute: as principais demandas em saúde mental, os fatores de proteção e de risco em saúde mental, os planos de intervenção e os métodos de acompanhamento dos casos.

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/cab34

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICs) também estão no foco desta edição. A matéria aborda as pesquisas realizadas no âmbito do PMAQ e Ouvidoria-Geral do SUS, mostram seu desenvolvimento e analisam a satisfação
dos usuários.

Fonte: Revista Brasileira Saúde da Família - Ano 14, número 34, jan./abr. 2013

 

ANO 2012

Trata das ações para implementação de diretrizes das políticas nacionais para ampliar a oferta de produtos e serviços relacionados à fitoterapia no SUS, de forma segura e racional, por profissionais de saúde qualificados. Contém o histórico das políticas nacionais e informações sobre normas, serviços e produtos relacionados à fitoterapia na Estratégia Saúde da Família/ Atenção Básica, para estimular a implantação de novos programas no SUS, com melhoria do acesso da população à produtos e serviços seguros e de qualidade; sensibilizar e orientar gestores e profissionais da saúde na formulação e implantação de políticas, programas e projetos; e estruturar e fortalecer a atenção em fitoterapia, com ênfase na Atenção Básica/Saúde da Família.

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/cab31

 

ANO 2009

Há dois anos, em 3 de maio de 2006, foi publicada a Portaria 971, que passou a assegurar o acesso aos usuários do SUS à Medicina Tradicional Chinesa/Acupuntura, Homeopatia, Plantas Medicinais e Fitoterapia, além de constituir observatório de práticas em saúde para o Termalismo e a Medicina Antroposófica. (...) Esta edição especial da Revista Brasileira Saúde da Família é um espaço para algumas experiências exitosas que já podem ser percebidas no Brasil, mesmo com a pouca idade da Política. Experiências essas, que podem ter início por meio da iniciativa de um profissional ou um grupo, mas que foram abraçadas pelos gestores e, principalmente, pelos usuários que procuram, de forma cada vez mais crescente, as Práticas Integrativas e Complementares.

Fonte: Revista Brasileira Saúde da Família - Ano IX, Ed. Especial (Maio 2008). Brasilia: Ministério da Saúde, 2008.

 

ANO 2008

Relatório formulado em razão do 1º Seminário Internacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, realizado em Brasília (DF), entre os dias 13 e 16 de maio de 2008, no período da comemoração dos 20 anos do Sistema Único de Saúde (SUS), pelo Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde (SAS), por meio do Departamento de Atenção Básica (DAB), em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/biblioteca.php?conteudo=publicacoes/relatorio_1o_sem_pnpic