OPISB - Ordem dos Profissionais Integrativos no Brasil
Mais 10 práticas integrativas são inseridas na PNPIC

Ministro da Saúde Ricardo Barros anunciou a ampliação da Política durante o INTERCONGREPICS que aconteceu entre os dias 12 e 15 de março de 2018 no Rio de Janeiro.

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/noticias.php?conteudo=_&cod=2872

 

Passam a fazer parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) mais 10 recursos terapêuticos. Agora, apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais integram o rol de práticas do Ministério da Saúde.

O dirigente da pasta, Ricardo Barros, anunciou a ampliação da Política durante a abertura do 1º Congresso Internacional de Práticas Integrativas e Complementares e Saúde Pública (INTERCONGREPICS), que acontece nesta semana, de 12 a 15 de março no Rio de Janeiro. Participam do evento mais de 4 mil pessoas, entre profissionais de saúde, pesquisadores, gestores brasileiros e estrangeiros representando 25 países.

Já estavam institucionalizadas no Sistema Único de Saúde (SUS) 19 práticas integrativas: ayurveda, homeopatia, Medicina Tradicional Chinesa, medicina antroposófica, plantas medicinais/fitoterapia, arteterapia, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturopatia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, Reiki, Shantala, terapia comunitária integrativa, termalismo social/crenoterapia e Yoga.

“O Brasil passa a contar com 29 práticas integrativas pelo SUS. Com isso, somos o país líder na oferta dessa modalidade na atenção básica. Essas práticas são investimento em promoção à saúde para evitar que as pessoas fiquem doentes. Precisamos continuar caminhando nesta direção”, ressaltou o ministro Ricardo Barros.

A ampliação da oferta terapêutica e mudança do paradigma de cuidado para avanços e fortalecimento da promoção da saúde tem sido considerada pauta prioritária da atual gestão. A medida segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que incentiva a inserção, reconhecimento e regulamentação das Medicinas Tradicionais e Complementares. Durante o evento, Ricardo Barros assinou também ato que institui a Coordenação de Práticas Integrativas e Complementares no organograma do Ministério da Saúde.

“A experiência brasileira é a maior do mundo em práticas integrativas no sistema de saúde público. Começar o congresso com o brado do povo Guarani revela o que temos que avançar no país, debate que será feito ao longo desse evento. Entretanto, é importante registrarmos os avanços da implementação das PICS ao longo dos anos. A portaria com as novas práticas e a criação da coordenação mostram o empenho do ministro Ricardo Barros em ampliar a Política”, ressaltou João Salame Neto, diretor do Departamento de Atenção Básica (DAB/MS) e presidente do INTERCONGEPICS.

Participaram da cerimônia de abertura do congresso o secretário de Atenção à Saúde (SAS/MS), Francisco de Assis Figueiredo, a diretora da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), Carissa Étienne, a ministra de Estado de Saúde de Curaçau, Susanne Camelia-Römer, o vice-ministro de Estado de Nicarágua, Enrique Beteta Azevedo, o secretário de Estado da Saúde, Luiz Antônio Teixeira Filho, representando o governador do Rio de Janeiro e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), o secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, o diretor da Medicinas Tradicionais Complementares e Integrativas  da Organização Mundial de Saúde (OMS), Zhang Qi, o presidente da Frente Parlamentar das PICS, Giovani Cherini, os deputados federais Alex Canziani e Saraiva Felipe, o presidente International Maharishi Ayurveda Foundation, Devinder Triguna, e o presidente All India Ayurveda Congress, Rainer Picha.

 

Fonte: http://dab.saude.gov.br/portaldab/noticias.php?conteudo=_&cod=2872